Pesquisar neste blog


Um dos blogues mais bonitos e originais e que merece ser visitado mais do que uma vez, pelas suas curiosidades, historias num mundo magico, videos de musica e cinema, entre muitas outras coisas...
(Dito por um fã)

_____________________________


O primeiro passo para superar o bloqueio de escritor não é começar a pensar, mas começar a escrever." ~*~ Christopher Rice.

A Minha Melhor Amiga

Daisypath Friendship tickers
Se eu tenho um contador de namoro, porque não um contador de amizade?? ;)

Namorando...

Daisypath Anniversary tickers
Um dia sem ouvir a tua voz é como descobrir que o mar morreu.

segunda-feira, dezembro 03, 2007

Ano do golfinho



Os golfinhos estão a ser ameaçados, e são mamíferos marinhos com laços estreitos com a história e a cultura. Viver nos oceanos e nos rios, e a sua sobrevivência são cada vez mais difíceis. Eles necessitam de água limpa e calma e áreas protegidas.

O Ano do Golfinho fará parte da Década da Educação para o Desenvolvimento Sustentável da ONU. A campanha é também uma contribuição concreta no sentido de cumprir metas para reduzir a perda da fauna silvestre até 2010, em que todos os governos acordaram, através das Nações Unidas.

As Nações Unidas, os governos, organizações intergovernamentais, ONGs e o sector privado, estão a construir uma aliança forte para alcançar um objectivo comum: a protecção dos golfinhos.

Um factor crucial para alcançar este objectivo é a educação para criar consciência sobre os golfinhos, educando e informando os decisores e envolver as comunidades locais.


Em Maio de 2007 em reconhecimento ao seu compromisso com a conservação dos oceanos ea vida marinha, e como um mensageiro futuro para a conservação dos golfinhos, Nick Carter, dos Backstreet Boys, foi nomeado embaixador especial para o Ano do Golfinho, pela Organização das Nações Unidas para o Ambiente (PNUA) Convenção sobre Espécies Migratórias (CMS).
Ele anunciou que irá envolver-se na obtenção de fundos e na sensibilização da opinião pública sobre a Causa.

Através da sua Campanha pelos Oceanos, Nick Carter já foi incentivar os jovens a aprender sobre questões ambientais que afectam os oceanos e tornar-se ativo no trabalho ambiental.




"Todos amamos os golfinhos. Todavia, estamos a levá-los à extinção. Eles enfrentam inúmeras ameaças, tais como sendo capturados em redes de pesca, desorientados pelo ruído das embarcações e sonares e envenenados por mais e mais lixo nos oceanos. O aquecimento global está a ameaçar os golfinhos também. " disse Nick Carter.  "Quero trabalhar com a Convenção do UNEP sobre Espécies Migratórias  para informar e captar recursos para a conservação dos golfinhos, para salvar esses animais e seus habitats".




Nick apoiará activamente com a campanha educativa e de angariação de fundos. Por exemplo, ele funcionará em uma canção especial e vídeo para os golfinhos, e os fundos angariados com a venda da música serão usados para projetos de conservação dos golfinhos CMS Ele também irá desenvolver um anúncio de serviço público, para envolver seus fãs e do público em grande na preservação dos golfinhos e dos ambientes do oceano.








Novidades sobre a sua campanha serão reveladas no próximo mês, incluindo um site, concurso de ter Nick Carter aparecem nas escolas locais, bem como informações sobre formas de contribuir para a UNEP / CMS e informação educacional para salvar golfinhos.






Mais sobre o Nick

A pop star internacional Nick Carter, mais conhecido como um membro do grupo de grande sucesso, Backstreet Boys, foi uma celebridade internacional há mais de 14 anos. Backstreet já vendeu mais de 60 milhões de discos em todo o mundo e lançou seis álbuns e estão a preparar-se para lançar um sétimo em 2007. Backstreet já rendeu mais de  $ 350 milhões de dolares e bateu recordes de venda da indústria com a maior venda de álbuns numa semana com cinco milhões de euros. Nick também percorreu o mundo com o album a solo, Now or Never, estreou o seu próprio reality show (House of Carters no E!) E actualmente está a filmar um filme, Fast Glass.  Com os seus muitos projetos em andamento, a nova afinidade de Nick para o activismo levou-o a trabalhar com o PNUMA e CMS para apoiar o Ano do Golfinho.


Mais para ler:
Golfinhos

quarta-feira, outubro 24, 2007

Simplesmente eu...

Simplesmente eu...

Quando eu digo que nao tenho amigos, toda a gente fica de boca aberta. Mas é verdade, tirando a unica pessoa que me atura ha sete anos, desde o décimo ano de escola,nao tenho mais ninguem. Vou conhecendo pessoas na net, de todos os pontos de país mas mais aqui da minha zona, mas ainda nao arranjei amigos do peito, como é a minha melhor amiga.


Eu sempre disse que nao sou uma rapariga normal, mas ninguem acredita. Todos saem á noite, todos bebem, todos fazem o que querem com o concentimento dos pais. Alguns, porque ha aqueles rebeldes que batem o pé e saem de casa á mesma e so chegam ás tres da manhã. E quando eu digo que nao saio á noite, que nao bebo, que nao me divirto, que nao namoro, todos pensam que vivo num mundo á parte, todos pensam que os meus pais me prendem e que eu me devia revoltar contra eles, ou que os devia denunciar quando, por acaso, algum deles ralha mais a sério comigo.

Será que sou diferente porque respeito as pessoas? Será que sou diferente porque nao saio á noite, ou porque nao visto roupa de marca? Ou será porque nao gozo com os marroes da turma que andam sempre carregados de livros e enfiados nas bibliotecas? Ou algo semenhante.

Se sou diferente, se nao sou normal, sou-o com muito gosto porque se sou assim é porque escolhi ser assim. Claro que gostava de sair de vez enquando, mas com quem?Com pessoas que encontro na net e que vejo uma vez na vida? sim, porque as que conheço ha mais tempo trabalham ou nao me querem aturar. Isto excluindo a minha melhor amiga que está a estudar um tanto longe daqui e nao á propriamente fácil vir aqui so porque me apetece ir ao cinema!

Eu so gostava de saber porque é que nunca tive mais amigos, nem no infatário, nem na primária, nem no liceu, nem no secundário.... será que sou assim tão asquerosa que a minha presença os incomonde? Sim porque eu ja ouvi comentarios quando estava na escola do tipo "vamos embora que eu detesto esta gaja!" ou tipo mais directos " Ainda nao reparaste que nos nao te queremos no nosso grupo?"

Será pedir demais para me explicarem?

Quando eu tinha 13 anos, todas as raparigas ja tinham pelo menos dado o primeiro beijo, eu so tive o meu primeiro namorado aos 19 anos e a unica coisa que ele soube fazer foi divertir-se e passar o tempo antes de fugir a correr para o Algarve para ver as inglesas. Depois dele, conheci outro rapaz so que ele ja tinha namorada, tornamo-nos amigos e iamos sair ás vezes, pensei que finalmente tinha encontrado um amigo para a vida, mas nao, quando eu menos esperava percebi que esse rapaz nao tinha o minimo de respeito por mim e muito menos pela namorada dele.Mas enfim, ainda estou para descobrir até que ponto um beijo nao é uma traição.
E tem sido assim, quando estou sozinha, as historias tornam-se as minhas amigas, o pc torna-se o meu melhor aliado para combater esta solidão absurda em que me enterraram desde sempre porque, vai-se la saber porquê, muita gente me exclui da vida real. Quando eu apenas queria ser como as raparigas da minha idade são, talvez nao tanto, mas pelos menos gostava de ter esse amigos que nunca tive.So mais uma coisa, no msn, tenho cerca de 60 pessoas, apenas 6 a 8 pessoas falam comigo sempre que me vê na net. No entanto, destas pessoas, tirando a minha melhor amiga, so conheço ao vivo cerca de duas ou três, e so saio algumas vezes(raras) com uma.

Nas férias neste passado verão, fui para a Foz do Arelho, tentei fazer amizades e conheci um rapaz, para alem do grande sermão que o meu pai me deu por achar que fui "oferecida demais" o rapaz deu-me um numero falso e no hi5 nem sequer fala comigo, aceitou-me apenas por aceitar, o mesmo se passou com outros rapazes quando andava na escola e tentava falar com eles para os conhecer.Por outro lado, parece que apenas atraio gente que não presta, estou a falar de homems com o dobro ou o triplo da minha idade e com propostas pouco decentes senao mesmo nojentas!

Agora pergunto mais uma vez, porque será que os rapazes bonitos fogem de mim, e os ordinários e nojentos se colam? Porque será que nao consigo fazer amigos como quero? E porque é que toda a gente me abandona quando mais preciso delas?

As questões ficam no ar para quem quiser responder...

:)

quinta-feira, agosto 09, 2007

Escrevendo e divulgando um bom artigo



A idéia deste post é trazer algumas dicas importantes sobre o processo envolvido na criação de um novo artigo em seu blog. Se você vê seu blog apenas como uma forma de diversão e não se importa com o retorno do seu trabalho – e não há nada de errado nisso – então este artigo não é para você. Mas, se você quer que o seu artigo seja lido, comentado e torne-se uma referência, vale a pena ler e aplicar as dicas abaixo.

Para organizar melhor o texto, ele foi divido em três momentos diferentes: antes de escrever, enquanto estiver escrevendo e após escrever. Para cada um desses momentos, existem ações que podem ser tomadas para melhorar o resultado final.



1. Antes de escrever
Este é o momento de pensar em “o que escrever”, ou seja, definir qual será o assunto do seu post. Se você ainda não tem nem idéia sobre o que quer escrever, sugiro dois artigos: Procurando ideias para novos artigos, na sua rotina e no seu dia-a-dia, do Fique-rico, e Não sabe mais sobre o que escrever? Faltou inspiração?, escrito pela Sandra no Info Macross. São um ótimo remédio contra a falta de criatividade.

Quando já tiver se decidido sobre o assunto, é hora de seguir as dicas abaixo.


Pesquise outros blogs
Esta etapa inicial é importantíssima e deve ser realizada antes mesmo de você iniciar o seu artigo. Você pode fazer isso através do Google ou, mais especificamente, do Google Blog Search (http://blogsearch.google.com).

Caso você não encontre ninguém falando sobre o tema que você irá escrever, isso pode significar duas coisas: ou o assunto não interessa a ninguém – e nem vale a pena escrever sobre ele – ou você encontrou uma ótima oportunidade para preencher essa lacuna. Vai do seu bom senso a análise nesse caso.

Mas, o que é mais comum é você encontrar já diversas outras pessoas falando sobre o mesmo assunto que você. Neste caso, é importante que o seu artigo não seja apenas “mais um”. Leia os outros artigos para descobrir onde você pode ser diferente. Pode ser um aspecto que ainda não foi tratado, uma nova informação, uma corrente divergente. Se você se limitar a escrever o que os outros já escreveram, a sua chance de se destacar é pequena.

Então, antes mesmo de começar a escrever, pergunte-se: “valerá a pena ler o meu artigo?”.

Anote os links que você encontrar, pois você fará uso deles.

Pesquise o assunto
Pronto. Você decidiu-se a escrever seu artigo e já sabe quais diferenciais ele deverá ter. É hora então de pesquisar sobre o assunto. Por mais que você já domine o que vai escrever, é sempre uma boa idéia pesquisar o assunto no Google, em busca de novidades e informações que possam agregar valor ao seu artigo.

Filtre o que realmente vale a pena ler, pois normalmente você encontrará muito conteúdo de baixa qualidade. E gaste um tempo lendo os artigos que selecionou. Isso o ajudará bastante na redação do seu artigo.



2. Escrevendo
Seja original
Se você realizou as pesquisas que citei acima, já sabe o que os outros escreveram. Evite, então, ser repetitivo e crie algo original, que chame a atenção. Ponha-se no lugar de quem está lendo seu artigo. Você o indicaria para outras pessoas lerem? Se a resposta for um sincero “sim”, você está no caminho correto.

Escolha um bom título
Crie um título que chame a atenção de quem você pretende atrair. Lembre-se que a concorrência que você enfrentará em leitores de RSS e ferramentas de busca será grande. Se o título não for interessante, é bem provável que a pessoa nem virá até sua página para lê-lo.

Cuide da ortografia e gramática
Para muitos, esta é a parte mais chata e complicada da elaboração de um artigo. Mas, ela deve ser levada com extremo cuidado. Eu mesmo já deixei de ler artigos que pareciam interessantes porque me deparei com erros graves logo no primeiro parágrafo. Leia, releia, utilize as ferramentas de correção, peça para alguém ler. Quanto mais cuidado você tomar, melhor será o resultado final.

Cite outros artigos
Se, durante a sua pesquisa, você encontrou artigos interessantes em outros blogs – ou em seu próprio - e que tenham um conteúdo relacionado com o seu, cite-os, indicando o link para acessá-los.

É uma ótima forma de complementar seu texto sem ser repetitivo. Além disso, essa prática é vista com bons olhos pelos outros blogueiros, porque é uma mostra de reconhecimento pelo trabalho deles e uma divulgação do artigo original.

Mas, seja comedido nesta prática: cite apenas alguns artigos, escolhendo aqueles que realmente valem a pena. E, um detalhe importante: ao colocar o link, configure-o para ser aberto em outra página (se não sabe como, leia a última seção do artigo Utilizando o Live Writer para escrever em seu blog).


3. Após escrever
Depois que você já escreveu seu artigo, é hora de divulgá-lo. A não ser que seu blog já tenha um grande fluxo de visitantes, ninguém saberá de seu artigo. Então, você precisa “espalhar a notícia” de que existe um novo artigo em seu blog. Com as dicas abaixo, você fará isso de forma simples e eficiente.

Atualize o sitemap do Google
Vá à página http://www.google.com/webmasters e atualize o sitemap de seu blog. Dessa forma, o Google indexará mais rapidamente o seu artigo, e ele estará disponível para quem fizer uma busca pela ferramenta. Se você não sabe do que estou falando, leia o artigo Google Webmasters: Sitemap.

Divulgue em sites
Divulgue seu artigo em sites específicos para a divulgação. Na página Links úteis para gerenciar seu blog eu cito os sites que me trazem mais retorno de visitas. Uma alternativa é o Post Social, que citei em meu artigo Divulgando seus artigos com o Post Social.

Muitas dessas ferramentas fazem a triagem dos artigos recebidos, então você só será publicado caso tenha realmente escrito um artigo de boa qualidade.

Comente outros artigos
E, por fim, volte aos blogs onde você encontrou artigos relacionados ao seu e deixe comentários. Mas, seja consciente: leia o artigo, escreva um comentário relevante e, por fim, indique o link do seu artigo como um complemento à leitura. Seja extremamente cuidadoso ao fazer isso, para não fazer apenas uma “propaganda gratuita” do seu blog.

Comente também nos blogs cujo artigo você tenha eventualmente citado no seu texto. Diga ao autor que você gostou do texto dele e o citou. Fazendo isso da forma correta, o resultado será positivo tanto para você quanto para o autor do texto original.

É isso. Seguindo essas dicas simples, você aumentará as chances de ter escrito um artigo com boa qualidade, e que será encontrado e lido com interesse pelos seus visitantes.

quinta-feira, janeiro 25, 2007

The candel

The Candel

A vela acendeu um dia,
E deu-me calor e sorrisos,
Mal sabia eu que as lágirmas
dela, viriam a ser as minhas.

Eu nem pensava nisso,
Axei que a vela arderia
para sempre. Que mania
a minha! Apegar-me ao incerto!

E quando a vela se apagou
Tudo voltou ás trevas.
Já não era a vela que chorava,
Era eu!

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...